entrelinhas http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br Só mais um site uol blogosfera Thu, 17 Oct 2019 07:00:35 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Por que o futuro iPhone SE 2 não representa a volta do celular pequeno http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/10/17/por-que-o-futuro-iphone-se-2-nao-representa-a-volta-do-celular-pequeno/ http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/10/17/por-que-o-futuro-iphone-se-2-nao-representa-a-volta-do-celular-pequeno/#respond Thu, 17 Oct 2019 07:00:35 +0000 http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/?p=333

Crédito: Divulgação

Os rumores sobre um sucessor do iPhone SE estão mais quentes do que nunca, com diversas fontes afirmando que sua chegada está próxima. O iPhone SE original foi lançado em 2016, com um corpo bastante parecido ao do iPhone 5s, porém componentes internos do recém-lançado iPhone 6s, resultando num dispositivo mais barato, porém muito capaz.

Segundo o confiável analista Ming-Chi Kuo, o novo iPhone SE terá um design muito parecido com o do iPhone 8, assim como o original tinha um design muito parecido com aquele do 5s.

Apesar do design parecido com o iPhone 8 no lado de fora, por dentro essa nova versão viria com o Apple A13, mesmo processador dos iPhones 11 e 11 Pro. A única diferença em termos de performance seria 1 GB a menos de memória RAM quando comparado aos iPhones recém-lançados.

Na parte de trás, o novo aparelho deverá trazer uma única câmera, provavelmente a mesma do iPhone 8. Uma câmera mais simples permite a realização do produto por um preço mais baixo. Em termos de cores, é esperado o lançamento de versões com corpo cinza espacial, prata e vermelho. O vermelho seria uma boa adição à linha, afinal é uma cor bastante popular nos outros modelos de iPhone.

O iPhone SE 2 também não contará com a tecnologia 3D Touch, que foi descontinuada oficialmente pela Apple com o lançamento dos iPhones 11 e 11 Pro no mês passado. Embora existam rumores de iPhones futuramente contarem com Touch ID e Face ID no mesmo aparelho, por conta do seu preço reduzido, o iPhone SE novo terá somente Touch ID.

É difícil saber ao certo qual seria o nome dado para o sucessor do iPhone SE, mas é possível que seja simplesmente “iPhone SE 2”. Se a Apple irá seguir essa nomenclatura, só saberemos quando (e se) o novo produto for anunciado, o que é esperado para o primeiro trimestre de 2020.

De acordo com o analista Ming-Chi Kuo, o preço do novo aparelho está planejado em US$ 399 para a versão com 16 GB de armazenamento interno e a Apple espera atingir principalmente os usuários de iPhones 6 e 6 Plus, que não receberam a atualização para o iOS 13.

O que pensar disso?

Um novo iPhone SE faz todo sentido do ponto de vista da empresa, já que os usuários de iPhones mais antigos não têm acesso aos novos serviços como Apple Arcade e Apple TV+. A introdução de um novo iPhone com boa performance e que receberá atualizações por um bom tempo seria um excelente incentivo para o upgrade, aumentando assim o número de assinantes dos novos serviços. As previsões de analistas são de vendas de mais de 30 milhões de unidades do aparelho em 2020.

Outra questão é se o novo aparelho agradará o público do iPhone SE original. Muitos usuários gostam do aparelho por conta do seu tamanho reduzido, com tela de 4 polegadas. Isso fez muitos pensarem que o “espírito” do iPhone SE é ser um iPhone pequeno. Na verdade, o iPhone SE nada mais é do que um iPhone com componentes externos de uma geração anterior, mas componentes internos da geração atual, independentemente do tamanho.

Na minha opinião, o lançamento de uma nova geração do iPhone SE conforme os rumores será bem vinda por aqueles que gostariam de ter melhor performance e receber atualizações por um bom tempo, mas não estão dispostos a pagar os preços altos cobrados pelos demais modelos. Para quem ainda deseja aparelhos de 4 polegadas, a notícia não é boa: é provável que a Apple jamais lance outro iPhone com esse tamanho.

]]>
0
Nova tecnologia deixa apps do iPad funcionarem no Mac; veja alguns deles http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/10/10/nova-tecnologia-deixa-apps-do-ipad-funcionarem-no-mac-veja-alguns-deles/ http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/10/10/nova-tecnologia-deixa-apps-do-ipad-funcionarem-no-mac-veja-alguns-deles/#respond Thu, 10 Oct 2019 07:00:06 +0000 http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/?p=321 O macOS Catalina foi liberado na terça-feira (8) para todos os usuários, com novos recursos que incluem o Apple Arcade, Sidecar, Screen Time, entre outros. Mas uma das grandes novidades dessa nova versão do sistema é a nova tecnologia Catalyst, que permite aos desenvolvedores de apps para iPad adaptarem seus aplicativos para o Mac sem a necessidade de criar um app totalmente novo para a plataforma.

Com o lançamento do sistema, começam a surgir os primeiros apps de iPad para Mac. Trago hoje uma lista de alguns desses apps que estive testando desde sua fase beta.

CARROT Weather

Conhecido pela sua personagem robô sarcástica, o app é meu favorito para previsão do tempo. Além de trazer as informações que você espera de apps do tipo como temperatura e previsão do tempo, adiciona um elemento de diversão com suas piadas.

O app agora está disponível para Mac, seguindo um design muito similar à sua versão no iOS.

CARROT Weather na App Store

Post-it

O Post-it – aquele bilhetinho colorido que todos adoram colar em casa ou no escritório – também tem tem sua versão virtual, que agora conta com um app oficial no Mac.

Um recurso muito bacana do app é a possibilidade de fotografar seus bilhetes do mundo real e convertê-los em bilhetes virtuais que podem ser agrupados, buscados, editados e rabiscados.

Post-it na App Store

Allegory

O Allegory é um app de notas que oferece um ambiente minimalista, livre de distrações, para quem gosta de focar no conteúdo. Ele traz diversas funcionalidades além da escrita, como tradução automática, importação de fotos da câmera ou escaneamento de documentos, além da opção de rabiscar nas suas notas.

Allegory na App Store

Planny 3

Apps de lembretes existem aos montes, para todos os gostos. O Planny 3 é mais um deles, com uma interface bastante colorida para ajudar na visualização das suas listas de afazeres. Ele também tem um componente de gamificação para incentivar os usuários a completarem suas tarefas, além do suporte a lembretes com base em localização ou data.

Planny 3 na App Store

PDF Viewer

Não se engane pelo nome: o PDF Viewer é muito mais que um simples visualizador de arquivos PDF. Criado pela empresa que desenvolve um poderoso componente de PDF para desenvolvedores, o app conta com diversos recursos avançados de anotação, permite redigir partes de um documento, assinar documentos, preencher formulários e muito mais.

Embora o macOS já venha com um excelente visualizador de PDF que permite edições simples, vale a pena experimentar o PDF Viewer como alternativa.

PDF Viewer na App Store

LookUp

Com o LookUp, você pode aprender uma nova palavra todo dia. A tela inicial do app mostra algumas sugestões de palavras para adicionar ao seu vocabulário, incluindo sugestões de uso e tradução para um idioma de sua escolha (incluindo o Português).

Após aprender as novas palavras, é possível adicioná-las em coleções customizadas ou salvá-las como favoritas.

LookUp na App Store

Conclusão

Estes foram apenas alguns destaques dos apps de iPad que estão chegando ao macOS Catalina, mas existem muitos outros que já foram lançados, além de apps que ainda não foram, mas já estão prometidos. O Twitter prometeu que trará de volta seu app oficial para Mac, adaptando seu app do iPad.

Se quiser conhecer mais alguns desses apps, vale a pena conferir este artigo na Mac App Store.

]]>
0
Como nova tecnologia “maluca” deixará as fotos do iPhone 11 ainda melhores http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/10/03/como-nova-tecnologia-maluca-deixara-as-fotos-do-iphone-11-ainda-melhores/ http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/10/03/como-nova-tecnologia-maluca-deixara-as-fotos-do-iphone-11-ainda-melhores/#respond Thu, 03 Oct 2019 07:00:14 +0000 http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/?p=315 Durante a apresentação dos novos iPhone 11 e iPhone 11 Pro, uma das novidades anunciadas para as câmeras dos novos aparelhos foi a tal da tecnologia Deep Fusion. Na ocasião, Phil Schiller afirmou que a novidade seria disponibilizada “em breve”, sem dar maiores detalhes sobre a data de lançamento. Nesta semana, a Apple lançou o primeiro beta do iOS 13.2 para desenvolvedores, que já conta com a nova tecnologia.

A tecnologia Deep Fusion utiliza o poder do novo processador A13 para realizar operações avançadas de fotografia computacional, tornando as fotos mais nítidas do que seria possível apenas com os sensores e lentes das câmeras. Diferente do Modo Noturno, que exibe um indicador na tela e pode ser desligado, o Deep Fusion funciona sem que o usuário perceba.

É da seguinte maneira: antes mesmo de você pressionar o botão para tirar uma foto, a câmera já registrou quatro quadros utilizando um tempo de exposição curto, além de quatro quadros utilizando um tempo de exposição maior. Ao pressionar o botão, mais um quadro é capturado, com tempo de exposição de acordo com a quantidade de luz na cena.

Todos esses quadros são combinados utilizando um algoritmo que analisa cada pixel individualmente, selecionando o melhor em cada quadro. O resultado é uma imagem muito mais nítida e com menos ruído do que uma imagem capturada com o processo tradicional.

Existem três modos diferentes de operação, que dependem da iluminação da cena e de qual câmera está sendo utilizada:

  • Quando a câmera principal é usada, o Deep Fusion é ativado automaticamente para cenas com luz média ou média-baixa. Para cenas muito escuras, será usado o Modo Noturno.
  • A câmera teleobjetiva utiliza o Deep Fusion em todas as situações, exceto em casos de extrema luminosidade (cenas na rua com sol, por exemplo).
  • A nova câmera ultra angular sempre utilizará o Smart HDR – ela não suporta Deep Fusion nem Modo Noturno.

A tecnologia é exclusiva para os iPhones 11, 11 Pro e 11 Pro Max, já que depende de melhorias no Neural Engine do processador A13. Existem algumas limitações: o Deep Fusion não é ativado para fotos sequenciais e também não é ativado caso a opção de capturar fotos fora da moldura – que combina as câmeras ultra-angular e grande-angular – esteja ativada.

Nos meus primeiros testes com o iPhone 11 Pro rodando iOS 13.2, consegui notar uma melhoria na nitidez de fotos tiradas com a câmera principal num ambiente interno com boa iluminação. Tudo indica que a tecnologia será mais uma novidade bem-vinda nos novos aparelhos, melhorando ainda mais as suas câmeras.

]]>
0
Novinha após reforma: o que mudou na loja mais famosa da Apple no mundo http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/09/26/novinha-apos-reforma-o-que-mudou-na-loja-mais-famosa-da-apple-no-mundo/ http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/09/26/novinha-apos-reforma-o-que-mudou-na-loja-mais-famosa-da-apple-no-mundo/#respond Thu, 26 Sep 2019 07:00:32 +0000 http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/?p=296

Nova Iorque, popularmente conhecida como Big Apple, também é a casa de outra Big Apple. Inaugurada há 13 anos, a Apple Store da Quinta Avenida é provavelmente a mais icônica de todas, com seu grande cubo de vidro e o logo da maçã iluminado chamando atenção de todos que passam na movimentada avenida.

A loja estava passando por uma reconstrução total há quase três anos e foi finalmente reinaugurada no dia 20 de setembro, com a presença do CEO Tim Cook e muitos fãs da marca. Tive o prazer de visitá-la esta semana e trago para vocês minhas impressões da loja e algumas fotos dela, todas feitas com o novíssimo iPhone 11 Pro.

O cubo é apenas a entrada da loja, que é totalmente subterrânea. A área ao redor também foi remodelada, contando agora com lentes que penetram o solo até a loja abaixo trazendo a luz do dia para dentro do ambiente, o que o deixa muito bem iluminado. Essas mesmas lentes também servem como bancos, tornando a área ao redor da loja uma praça bastante agradável.

A entrada da loja é feita na frente do cubo, numa porta também de vidro que dá acesso a escadas circulares. As laterais das escadas ainda são de vidro, mas os degraus – que antes também eram – infelizmente não são mais.

No centro das escadas também há um elevador, para quem precisa de acessibilidade. Além dessa entrada principal, existem outras duas entradas laterais, mas para quem quer realmente ter a experiência completa, o recomendado é usar a entrada pelo cubo.

Uma reclamação comum de quem já tinha visitado a loja na sua versão anterior era a falta de espaço. Esse problema foi resolvido na reconstrução, a área da loja foi praticamente dobrada e a altura também aumentou significativamente. Mais de 900 funcionários trabalham na loja, falando 36 idiomas diferentes.

Dentro da loja, apesar do seu tamanho grande, é possível localizar as diferentes seções muito facilmente. Nos dois extremos opostos estão a área onde são feitas as sessões de Today at Apple, com entrevistas, dicas de aplicativos, entre outros. No lado oposto, existe uma sala fechada para experimentar o HomePod. Essa sala é dividida em duas, com HomePods brancos de um lado e HomePods pretos de outro.

O restante da loja é bastante parecido com qualquer outra Apple Store, com o diferencial de que a loja da Quinta Avenida é bastante espaçosa e também conta com árvores e paredes verdes no seu interior, deixando o ambiente ainda mais agradável.

Existem novos displays na loja exibindo os recém-lançados iPhone 11 e 11 Pro, além do Apple Watch Series 5 e alguns serviços, como o Apple Arcade. Um deles – que achei bem interessante – consiste em seis iPads Pro dispostos num painel, exibindo um comercial do Apple Arcade com cada pedaço do vídeo aparecendo em uma das telas.

Uma loja tão icônica quanto a da Quinta Avenida merecia ser também uma das melhores Apple Stores do mundo. Na minha opinião, a Apple acertou em cheio com a nova loja. Confira mais fotos feitas com o novo iPhone 11 Pro:

]]>
0
iOS 13 chega hoje! Como saber se seu iPhone está preparado para o sistema http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/09/19/ios-13-chega-hoje-como-saber-se-seu-iphone-esta-preparado-para-o-sistema/ http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/09/19/ios-13-chega-hoje-como-saber-se-seu-iphone-esta-preparado-para-o-sistema/#respond Thu, 19 Sep 2019 07:00:04 +0000 http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/?p=290 É hoje! Após meses de testes, bugs, ajustes e atualizações, o iOS 13 será lançado para todos os usuários. A atualização chega com diversas novidades: modo escuro, novo app Buscar, app Atalhos mais poderoso, app Lembretes remodelado, e muito mais. Preparei este post com algumas dicas para você se preparar para essa atualização.

Dispositivos suportados

O primeiro passo é conferir se o seu aparelho é compatível com o iOS 13. A atualização de hoje é apenas para iPhones e iPod touch, o iPadOS, para os iPads, será lançado no dia 30.

Eis a lista dos aparelhos que receberão o iOS 13:

  • iPhone 11 Pro Max
  • iPhone 11 Pro
  • iPhone 11
  • iPhone XS
  • iPhone XS Max
  • iPhone XR
  • iPhone X
  • iPhone 8
  • iPhone 8 Plus
  • iPhone 7
  • iPhone 7 Plus
  • iPhone 6s
  • iPhone 6s Plus
  • iPhone SE
  • iPod touch (Sétima geração)

Portanto, se você ainda utiliza um iPhone 5s, iPhone 6 ou qualquer modelo anterior a eles, infelizmente ficará de fora da atualização. O iOS 12 – lançado no final do ano passado – ainda suporta esses aparelhos e deverá continuar recebendo atualizações de segurança por algum tempo. A Apple continua à frente de qualquer fabricante Android quando o assunto é atualização do sistema operacional, dando suporte a aparelhos de 2015 no iOS 13.

Caso seu aparelho seja suportado, a atualização aparecerá em Ajustes > Atualização de Software. Mas, antes de instalar, vale conferir se você – e seu aparelho – estão prontos para a atualização.

Compatibilidade de apps

Usuários de iPhone costumam atualizar o sistema operacional com bastante rapidez. O iOS 12 – lançado ano passado – tem mais de 80% de adoção. Isso faz com que desenvolvedores de aplicativos também os atualizem rapidamente, dando compatibilidade para o novo sistema.

Mesmo assim, desenvolvedores de algumas categorias de apps (como banco) são notoriamente mais lentos para atualizá-los, o que pode causar desde pequenas inconveniências visuais a até travamentos ou mesmo a impossibilidade de usar o app.

Portanto, se existe algum aplicativo muito importante para você – usado para trabalho, pagar contas, etc – vale conferir se ele funciona no iOS 13. Infelizmente, não existe uma forma muito prática de fazer isso, além de pesquisar para ver qual a experiência de usuários que estavam testando o beta.

Outra opção é ficar de olho na aba de atualizações da App Store e conferir a descrição das atualizações, verificando se falam algo a respeito de suporte ao iOS 13. Nos últimos dias, percebi que vários apps já lançaram atualizações informando suporte ao iOS 13. Estou usando a versão GM do iOS 13 há mais de uma semana e a maioria dos apps que uso no dia a dia estão funcionando normalmente.

Migrando para um novo aparelho

Caso você ainda esteja utilizando um aparelho que não receberá a atualização do iOS 13, talvez tenha decidido adquirir um novo para se manter atualizado. Ou quem sabe você vai viajar para comprar o novo iPhone 11. Em ambos os casos, é bem provável que queira fazer a transferência de todos os seus dados e aplicativos para o smartphone novo.

Primeiro, verifique que o aparelho atual está na versão do iOS mais recente suportada, para garantir que a restauração do novo será bem sucedida.

Existem diversas formas de fazer a migração para um novo dispositivo, cada uma com suas vantagens e desvantagens. Vamos a elas:

Backup no iTunes/Mac

A forma mais rápida – porém trabalhosa – de fazer a migração é fazendo um backup do seu aparelho atual no iTunes. Esse backup pode ser feito tanto no Mac quanto no iTunes para Windows. Basta conectar o iPhone ao computador com o cabo lightning para USB, abrir o iTunes, selecionar o iPhone na barra lateral e selecionar a opção “Fazer Backup Agora”.

Se quiser que o backup seja bem completo, incluindo suas senhas salvas e outras informações sensíveis, é importante habilitar a opção de criptografar o backup, essa é a melhor forma de ter um backup realmente completo.

Vantagens: o backup mais completo possível, incluindo senhas e outros dados sensíveis, restauração mais rápida, não depende de internet rápida.

Desvantagens: precisa de um PC ou Mac com iTunes, cabo, realização do backup pode demorar, ocupa bastante espaço no computador.

Configuração rápida

Se você tem seu aparelho atual ainda configurado com sua conta do iCloud, pode utilizar a configuração rápida. Basta ligar o aparelho novo, aproximá-lo do atual e desbloquear seu aparelho atual. Uma interface aparecerá, oferecendo essa opção. A partir disso, basta seguir os passos na tela.

Essa opção fará a transferência das suas configurações, dados e aplicativos, restaurando a partir de um backup no iCloud. Após o término da configuração inicial, você já pode começar a usar o iPhone, mas dependendo da velocidade da sua conexão, a restauração pode demorar um tempo.

Vantagens: não requer computador, praticidade.

Desvantagens: requer internet rápida, pode demorar para finalizar a restauração.

Transferência direta

Com o iOS 12.4, a Apple introduziu uma nova forma de transferir os dados de um aparelho ao outro sem precisar de um backup no iCloud. No final da configuração do novo aparelho, uma tela oferece a opção de transferência direta, que pode ser feita sem fio, ou conectando um iPhone ao outro através do adaptador de lightning para USB-A (o mesmo usado para conectar câmeras no iPhone).

Essa opção não requer uma conexão rápida com a internet e nem espaço no iCloud para realizar um backup, pois os dados são transferidos diretamente de um aparelho ao outro.

Vantagens: não requer backup no iCloud, não requer internet rápida, praticidade.

Desvantagens: pode demorar para finalizar a restauração.

Qual delas usar?

Eu recomendo fazer o backup no computador para quem tiver essa possibilidade. Embora o processo inicial seja um pouco mais trabalhoso e demorado, após a restauração, seu novo aparelho estará exatamente do jeito que estava o anterior – especialmente se fizer o backup criptografado – assim você já pode começar a aproveitar o novo iPhone rapidamente.

Bateria

Uma pergunta que surge todos os anos com o lançamento de um novo iOS é sobre a vida útil da bateria. O quanto um novo sistema afeta a bateria do celular varia muito de acordo com o modelo, quais apps são usados e até mesmo a saúde da bateria.

Uma coisa que é importante ter em mente é que, logo após uma atualização grande como essa, existem diversos processos que são feitos em plano de fundo como atualizações de bancos de dados, migrações de dados, análise da biblioteca de fotos, entre outros. Esses processos todos consomem bastante processamento e bateria. Portanto, é normal a bateria durar menos no primeiro dia logo após uma atualização grande. O recomendado é deixar o aparelho conectado por algumas horas para que ele termine esses processos o mais rápido possível e o consumo de bateria volte ao normal.

Mas e o iOS 13.1?

Algumas novidades que estavam inicialmente previstas para o iOS 13.0 acabaram precisando de mais tempo para ficarem prontas, por isso a Apple removeu essas funcionalidades do iOS 13.0 e começou a trabalhar no iOS 13.1, que atualmente encontra-se em beta, tanto para desenvolvedores quanto público.

A previsão é de que o iOS 13.1 seja lançado no dia 30 de setembro, com essas novidades que ficaram de fora da 13.0 e correções de bugs. Se você não está com pressa para usar o iOS 13, talvez valha a pena esperar mais alguns dias e atualizar direto para a versão 13.1.

Para quem está no beta

Outra dúvida muito comum com o lançamento final de uma nova versão do iOS que esteve em beta por muito tempo é sobre como os usuários que estão atualmente no beta farão a instalação da versão final.

O recomendado é que, se você estiver rodando o iOS 13 beta, remova o perfil do seu aparelho (em Ajustes > Geral > Perfis). Assim que a versão final for lançada, você receberá a atualização normalmente e estará fora do beta.

Se você estiver rodando o iOS 13.1 beta, eu recomendo que continue nele até o dia 30 de setembro, pois voltar do iOS 13.1 beta para a versão final do iOS 13 pode causar dores de cabeça.

Conclusão: devo atualizar?

A não ser que você esteja usando um aparelho que não seja compatível com o iOS 13, ou que algum app muito importante para você tenha problemas conhecidos na nova versão, a recomendação é atualizar.

Atualizações não apenas introduzem novos recursos e correções de bugs, mas também trazem melhorias de segurança. Manter todos os seus aparelhos e apps sempre atualizados é uma boa forma de manter seus dados protegidos.

]]>
0
Apple pode ter tirado anúncios na última hora em evento; o que ficou fora? http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/09/12/apple-pode-ter-tirado-anuncios-na-ultima-hora-em-evento-o-que-ficou-fora/ http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/09/12/apple-pode-ter-tirado-anuncios-na-ultima-hora-em-evento-o-que-ficou-fora/#respond Thu, 12 Sep 2019 07:00:31 +0000 http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/?p=285

O evento da Apple foi palco de diversos anúncios, mas também de muitas coisas acontecendo pela primeira vez. Foi o primeiro evento da empresa após a saída do seu chefão de design Jony Ive, o primeiro a ser transmitido oficialmente via YouTube e o primeiro evento de lançamento de novos iPhones após a virada estratégica da empresa para o modelo de assinaturas.

Esse evento também foi o primeiro há um bom tempo que terminou com menos de duas horas de duração, o que foi percebido por muitos que – assim como eu – vêm acompanhando as apresentações da Apple há bastante tempo. Essa redução no tempo do evento, o final “abrupto” e o fato de terem mencionado que não haveria tempo para números no começo – para depois gastarem diversos minutos falando detalhes técnicos do processador e sobre suas lojas – me faz acreditar que alguns anúncios que estavam planejados acabaram sendo removidos de última hora.

Abaixo, o que pode ter ficado de fora na última hora do evento desta semana:

Recarga de acessórios sem fio

A Samsung introduziu o recurso PowerShare nos seus aparelhos Galaxy S10 e colocou isso também no Note 10 – o P30 Pro, da Huawei, também possui. Ele basicamente transforma o smartphone num carregador wireless. Basta colocar os fones de ouvido, relógio, ou até mesmo outro celular na traseira do aparelho para que ele seja recarregado.

Apesar de não ser um recurso usado o tempo todo, pode ser extremamente útil em situações onde não se tem acesso a um carregador separado (viagens, por exemplo).

Os rumores de que os iPhones deste ano viriam com o recurso duraram até poucos dias antes do evento, quando o analista Ming Chi Kuo afirmou que a empresa teria desistido de lançar o recurso de última hora, por motivos técnicos.

A Apple tem um histórico complicado quando o assunto é carregamento sem fio. No evento de lançamento do iPhone X, em 2017, Phil Schiller subiu ao palco para anunciar que a empresa lançaria um carregador sem fio revolucionário. Chamado “AirPower”, ele permitiria o carregamento de até três dispositivos simultaneamente, sendo possível colocá-los em qualquer posição no carregador.

Naquela época, o AirPower foi prometido para “o ano que vem”, porém, após atrasos e mais atrasos, o projeto foi cancelado de última hora num estágio já bastante avançado de produção, devido a problemas com sua qualidade e confiabilidade.

Agora, dois anos após o anúncio do AirPower, temos mais um recurso envolvendo recarga sem fio que estava em desenvolvimento, mas foi deixado de lado “na última hora”. O que a Apple fez certo dessa vez foi não anunciar ele antes de estar pronto. De qualquer maneira, é um recurso que já está disponível no mercado e do qual certamente uma parcela grande dos usuários sentirá falta.

“Apple Tag” e chip U1

As primeiras informações sobre um dispositivo da Apple similar à Tile – um pequeno dispositivo rastreador de objetos – surgiram em abril de fontes da própria companhia. O dispositivo permitiria o rastreamento de objetos no app Buscar, da mesma forma como é possível rastrear iPhones, AirPods, amigos e membros da família.

Um tempo depois, no primeiro beta do iOS 13, apareceu a primeira pista, na forma de um arquivo que continha referências a um produto com o modelo “Tag1,1”. Mais recentemente, o MacRumors divulgou screenshots mostrando a nova aba no app Buscar e eu pude confirmar com fontes da empresa sua veracidade, além de maiores detalhes sobre o funcionamento dele, que já comentei num artigo anterior.

No evento desta semana, a Apple destacou nos slides o novo chip U1, que equipa os iPhones 11 e 11 Pro, porém não fez nenhum comentário a respeito do que se trata esse chip. Trata-se de um chip que usa a tecnologia de banda ultralarga para reconhecimento espacial, permitindo que os novos iPhones “enxerguem” com uma precisão muito grande outros aparelhos Apple com o mesmo chip que estejam próximos. Essas informações são do site oficial da Apple em português, que também afirma que o novo chip “vai dar origem a recursos incríveis”. Importante notar o tempo futuro da frase.

Por enquanto, o único recurso que virá inicialmente será a possibilidade de apontar o iPhone na direção de um amigo para enviar informações através do AirDrop, algo muito pequeno para justificar a inclusão de um chip totalmente novo nos aparelhos.

Para mim, fica claro que o novo produto rastreador está a caminho, mas não estava pronto para ser anunciado. Talvez saberemos mais a respeito dele em outubro – afinal, é comum a Apple fazer eventos no mês.

Óculos de realidade aumentada

Os rumores sobre óculos de realidade aumentada da Apple são de longa data. Neste ano, ficaram mais evidentes com informações de fontes da empresa e também alguns vazamentos de software dando indicações de que os tais óculos realmente estariam em desenvolvimento.

Após o término do evento, foram lançadas as versões Golden Master (ou seja, as versões praticamente oficiais) do iOS 13 e do Xcode 11 (ferramenta para desenvolvedores). A surpresa foi encontrar dentro dos softwares lançados inúmeras referências que apontam para a existência desse dispositivo.

O sistema de AR estéreo parece ter um funcionamento semelhante ao CarPlay, no qual o iPhone faz todo o trabalho pesado, com o dispositivo externo servindo apenas de display externo. Também há indicações de que o suporte não seria exclusivo para dispositivos da própria Apple, mas estaria aberto a dispositivos de outros fabricantes, dentro do programa MFi.

É muito raro para a Apple deixar informações tão “quentes” sobre produtos ainda não anunciados em softwares disponíveis para desenvolvedores ou o público em geral, o que pode indicar que o anúncio estava planejado para o evento, mas foi cancelado na última hora. Com isso, pode ser que saibamos mais a respeito dos projetos para AR/VR muito em breve.

MacBook Pro, iPad Pro, Apple TV e mais

Além dos recursos e produtos citados acima, tivemos algumas outras omissões no evento que valem ser mencionadas. Uma delas foi o lançamento do MacBook Pro de 16”, do qual se ouve rumores desde o começo do ano. Também não tivemos atualização na linha de iPads Pro, novo Apple Pencil, nem novidades nos fones de ouvido (AirPods e linha Beats).

O monitoramento de sono no Apple Watch parece ter ficado para o ano que vem, conforme alguns relatórios anteriores já vinham afirmando. Também não foram divulgados detalhes nem data de lançamento para o novo Mac Pro e Pro Display XDR.

É possível que essas novidades também tenham ficado para um evento da Apple em outubro, como a marca costuma realizar.

Foi decepcionante?

Na minha opinião, não.

Fiquei bastante satisfeito com o que foi anunciado ontem, especialmente o recurso always-on para a tela do Apple Watch Series 5 (que não tinha vazado nem era rumor, diga-se). Os novos iPhones parecem ser uma evolução considerável com relação aos atuais, mas ainda mais para quem vai trocar do iPhone 7, 8 ou até mesmo X.

Apesar de ter sentido falta de diversas coisas no evento de ontem, é sempre importante controlar expectativas. Não é bom aguardar um evento da Apple esperando que todos os rumores e vazamentos se concretizarão.

]]>
0
Apple permitirá que você ache chaves da mesma maneira que localiza iPhone http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/09/03/apple-permitira-que-voce-ache-chaves-da-mesma-maneira-que-localiza-iphone/ http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/09/03/apple-permitira-que-voce-ache-chaves-da-mesma-maneira-que-localiza-iphone/#respond Tue, 03 Sep 2019 17:00:42 +0000 http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/?p=277

Muito se tem falado sobre a Apple estar trabalhando em um produto similar à Tile – para rastreamento de objetos – e também sobre os possíveis “Apple Glasses” para realidade aumentada. Pois informações recentes de pessoas envolvidas nesses projetos trouxeram alguns detalhes sobre os novos produtos.

“Apple Tag”

A Apple está trabalhando num dispositivo que serve para rastrear objetos: uma pequena etiqueta redonda branca que pode ser colocada em chaves, mochilas, carteiras, entre outros, para que seja possível rastrear esses objetos no app Buscar, introduzido no iOS 13.

De acordo com pessoas envolvidas nesse projeto – e confirmado pelo Macrumors – haverá uma nova aba no app Buscar para itens, assim como já existem abas para dispositivos e pessoas. Nessa aba, o usuário poderá ver a localização de todas as suas etiquetas.

Também será possível marcar um item como perdido. Quando um item está nesse modo e o sistema detecta que ele está sendo carregado por outra pessoa que possuí um dispositivo da Apple, o dispositivo dessa pessoa exibe um alerta de que ela está transportando um item de alguém, mostrando opcionalmente uma mensagem do dono desse item e opção para contatá-lo.

Apesar de muito pequeno, o dispositivo terá bastante tecnologia. Ele contará com Bluetooth LE, NFC, um alto-falante e rodará uma versão reduzida do iOS. O pareamento com a conta de iCloud de um usuário será feito por aproximação, bem parecido com os AirPods. O NFC poderá ser usado quando um item for encontrado, para que um usuário possa escanear a etiqueta e obter informações de como contatar o dono.

A empresa também está trabalhando em um modo de realidade aumentada que permitirá aos usuários localizar seus itens em 3D. Um balão será exibido para mostrar ao usuário onde o seu item está no mundo real.

“Apple Glasses”

A Apple também está trabalhando em suporte a realidade aumentada estéreo – que utiliza um headset – no sistema operacional dos iPhones. Mas talvez o projeto não seja os óculos da Apple dos quais tanto se tem falado recentemente. Ele consiste em uma experiência de realidade aumentada na qual o usuário veste um dispositivo no rosto – similar ao Daydream do Google – e está passando por testes internos com dois dispositivos da própria Apple (codinomes Luck e Franc) e um dispositivo de terceiros, o HoloKit.

Apps com suporte a realidade aumentada estéreo funcionarão de forma similar ao CarPlay, declarando suporte ao novo modo de execução nas suas configurações internas. Esses apps podem ser executados no “modo normal”, que é como apps AR rodam hoje em dia – com o usuário segurando o dispositivo na sua frente – ou em “modo vestido”, quando um headset externo está sendo usado.

Nos novos iPhones, que serão anunciados semana que vem, a nova câmera “super wide” será usada para melhorar a qualidade da realidade aumentada. Alguns componentes do sistema também já estão adaptados para funcionarem no novo modo vestido, incluindo Mapas, o próprio app Buscar e o QuickLook em realidade aumentada, que pode ser usado em páginas da internet.

Não é claro quando (ou se) a Apple irá anunciar algo a respeito do suporte à realidade aumentada estéreo no iOS, principalmente com relatórios recentes dando conta de que o projeto teria sido cancelado pela empresa, mas é fato que o iOS 13 foi desenvolvido com suporte a essa tecnologia.

]]>
0
Novos iPhones serão revelados dia 10 de setembro; veja tudo o que sabemos http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/08/29/esta-chegando-a-hora-veja-tudo-o-que-ja-sabemos-dos-novos-iphones/ http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/08/29/esta-chegando-a-hora-veja-tudo-o-que-ja-sabemos-dos-novos-iphones/#respond Thu, 29 Aug 2019 07:00:54 +0000 http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/?p=269 Atualizado às 13h13

A Apple confirmou nesta quinta-feira (29) a data do seu próximo grande evento: em 10 de setembro, conheceremos os novos iPhones da companhia. A imprensa já começou a receber convites para um lançamento da empresa na data, que segue a tradição dos últimos lançamentos de smartphones da empresa.

O evento ocorrerá dentro da sede da empresa, em Cupertino, no anfiteatro que carrega o nome de Steve Jobs. E o que devemos ver por lá?

Embora a empresa seja famosa por guardar segredo sobre futuros lançamentos, diversas fontes tanto da própria empresa quanto de fornecedores nos permitem ter uma ideia bastante precisa de como serão esses novos aparelhos.

Os nomes dos novos iPhones costumam ser o segredo mais bem guardado, mas não é incomum que vazem alguns dias antes do seu anúncio. Recentemente, uma fonte anônima, porém confiável, divulgou que os modelos para este ano seriam “iPhone 11”, “iPhone 11 Pro” e “iPhone 11 Pro Max”. Eles estariam substituindo o iPhone XR, iPhone XS e iPhone XS Max, respectivamente.

Nova câmera

Sem dúvida, a principal novidade para esse ano será a adição de uma terceira câmera nos modelos “Pro”. Essa câmera terá um ângulo de visão maior, permitindo fotos mais “abertas”, além de um novo recurso chamado “Smart Frame”. O Smart Frame irá capturar a área ao redor de uma foto ou vídeo, permitindo ajustes de enquadramento na edição, ou em tempo real.

Por conta dessa nova câmera, haverá uma alteração no design da traseira dos novos iPhones, que contarão com uma protuberância quadrada para a câmera, bastante similar a alguns renders criados por designers independentes. Eu particularmente não achei bonita essa mudança (e muita gente parece concordar comigo).

Outra novidade com relação às câmeras será um maior ângulo de visão para a câmera do Face ID, permitindo o desbloqueio dos aparelhos quando estiverem deitados numa mesa, por exemplo. A câmera frontal dos novos iPhones também será capaz de filmar a 120 quadros por segundo, boa novidade para quem sempre quis fazer selfies em câmera lenta  (quem?).

Mudanças no 3D Touch e carregamento

Além das novas câmeras, os novos iPhones perderão o hardware responsável pelo 3D Touch, dando vez ao Haptic Touch, que executa a mesma função mas sem necessidade de um hardware especial na tela. Para tornar o Haptic Touch ainda melhor, um novo tipo de Taptic Engine – o motor vibratório do iPhone – deverá ser instalado. Conhecido internamente como “Leap Haptics”, não se sabe exatamente o que o novo sistema trará de novo, mas é bem provável que a sua inclusão nos novos iPhones seja uma forma de melhorar o Haptic Touch.

Todos os iPhones vendidos atualmente vem com um carregador USB-A de 5W na caixa, apesar de suportarem carregamento rápido. Quem quer tirar proveito do carregamento rápido precisa adquirir outro carregador, ou usar um carregador de iPad ou Mac. Segundo informações de fontes na indústria, a Apple estaria planejando incluir o carregador USB-C (o mesmo do iPad Pro) nas caixas dos novos iPhones. Vale ressaltar que isso não significa que os novos iPhones teriam uma porta USB-C, apenas a porta do carregador seria USB-C, enquanto a do iPhone continuaria sendo Lightning.

Lápis no iPhone?

O Apple Pencil funciona atualmente na maioria dos modelos de iPad. A funcionalidade começou como algo exclusivo de modelos Pro, mas foi aos poucos sendo ampliada para toda a linha, incluindo agora até mesmo o iPad mini. Especulações sobre um Apple Pencil para iPhone já existem há muito tempo, mas neste ano existem algumas fontes afirmando que uma nova versão do lápis estaria sendo desenvolvida especificamente para os novos iPhones, como a Samsung faz para o Note 10. Essa nova versão do Apple Pencil seria menor do que a versão para iPad.

Esse rumor se conecta bem com outro rumor: o de que teríamos carregamento indutivo “reverso” nos novos iPhones. Esse carregamento seria similar ao que já está disponível em alguns dispositivos Android, onde um celular pode carregar outro celular ou acessório por indução. Um case com espaço para guardar o Apple Pencil na traseira do iPhone poderia ao mesmo tempo carregá-lo, assim como no iPad Pro mais recente ele pode ser carregado enquanto guardado na borda do tablet.

E quanto a cores? Uma das vantagens do iPhone XR – lançado no ano passado – é a variedade de cores disponíveis. Para este ano, a Apple estaria desenvolvendo uma nova opção de verde para o iPhone 11, além de algumas opções de cores foscas (atualmente, todas são brilhantes).

Pouca inovação

Na minha opinião, se os lançamentos forem como os rumores, estamos diante de mais um ano de aprimoramento da mesma linha que começou com o iPhone X em 2017, seguindo a mesma estratégia que a empresa vem adotando desde a introdução do iPhone 6. Quem gosta de grandes mudanças, terá que esperar mais um pouquinho.

O anúncio dos novos iPhones deverá ocorrer em evento especial no dia 10 de setembro, com pré-venda iniciando alguns dias depois. Neste ano, tudo indica que todos os modelos estarão à venda imediatamente, ao contrário dos últimos dois anos em que um dos modelos era lançado um pouco depois dos outros.

Imagem do post por 9to5Mac

]]>
0
Testamos o Arcade, serviço de assinatura de jogos da Apple http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/08/20/testamos-o-arcade-servico-de-assinatura-de-jogos-da-apple/ http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/08/20/testamos-o-arcade-servico-de-assinatura-de-jogos-da-apple/#respond Tue, 20 Aug 2019 15:05:35 +0000 http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/?p=259

A Apple anunciou o seu serviço de assinatura de jogos, Apple Arcade, no seu evento especial que ocorreu em Março deste ano. O serviço dará acesso a mais de cem jogos no Mac, iPhone, iPad e Apple TV com uma assinatura mensal. A empresa está trabalhando com alguns desenvolvedores na criação de títulos exclusivos para o serviço.

O serviço será lançado ao público somente no mês que vem. Neste final de semana, obtive acesso ao programa interno de testes do Apple Arcade e pude testar a navegação na App Store, além de alguns dos mais de 100 títulos que estarão disponíveis.

Os meus testes foram feitos em um MacBook Pro rodando o beta mais recente do macOS Catalina. Após ativado o acesso, abrindo a aba do Arcade na App Store, foi possível ver destaques de alguns dos jogos oferecidos no serviço.

Para instalar algum dos jogos, após feita a assinatura, basta clicar no botão “Get” (“Obter”, na versão em português) e a instalação ocorre como se fosse um app/jogo grátis da App Store. A seguir, as primeiras impressões de alguns dos jogos:

Hot Lava

É um jogo em primeira pessoa onde o jogador não pode tocar no chão, pois ele é feito de lava. Os ambientes são os mais diversos, incluindo casa, escola, entre outros. É preciso pular, se pendurar e fazer outros tipos de acrobacias para não encostar no chão.

O Hot Lava foi um dos jogos destacados quando a Apple anunciou o serviço e certamente será um destaque, é bem feito e muito divertido.

Frogger in Toy Town

Este é um dos títulos exclusivos para o Apple Arcade, uma evolução do clássico estilo do “sapo atravessando a rua”, muito popular nas plataformas da Apple com jogos como Crossy Road.

Cada fase é dividida em diferentes seções, como uma casa onde você joga na cozinha, sala de estar e no jardim. Cada seção tem três objetivos, como completar sem ser atropelado, sem se afogar, sem se queimar ou resgatar sapinhos.

Kings of the Castle

O jogo é multiplayer, no estilo action/adventure. A versão de prévia disponível atualmente só conta com suporte a um jogador e apenas uma fase. Ele começa com uma contagem regressiva de 10 minutos, tempo em que o jogador precisa navegar no mapa de uma ilha em busca de pedras preciosas e chaves para abrir portas.

Eventualmente aparecem alguns inimigos, obstáculos e perguntas que precisam ser respondidas. O jogo é bastante colorido, com alguns elementos de jogos de plataforma 3D. Ainda é cedo para opinar sobre ele, visto que a versão de teste ainda é bem limitada.

Way of the Turtle

É um jogo de plataforma simples onde o jogador é uma tartaruga tentando encontrar sua namorada desaparecida. Way of the Turtle também conta com alguns puzzles, além das mecânicas de caminhar e pular comuns aos jogos de plataforma.

Sneaky Sasquatch

Dos criadores de Dark Echo e Splitters Critters, Sneaky Sasquatch é um jogo de aventura onde o jogador precisa encontrar comida em um acampamento, tudo isso sem chamar atenção dos guardas nem ser visto por ninguém.

Durante essa busca por alimento, vários obstáculos tentam atrapalhar o seu objetivo, incluindo animais e pessoas. É possível dirigir carros, fazer compras e muito mais, o que torna o jogo bastante dinâmico e divertido.

Preço e lançamento

De acordo com informações obtidas nos servidores da Apple, o preço da assinatura do Arcade deverá ser de US$4,99. Seguindo a conversão usual de preços da Apple, isso daria um preço no brasil de R$18,90. O serviço oferecerá um mês grátis e com o valor da assinatura, todos os membros da família terão acesso, sem custo adicional.

O lançamento oficial do Apple Arcade para o público deve ocorrer no dia 10 de Setembro, quando é esperado um evento especial da Apple para o anúncio de novos iPhones.

Imagem do post: 9to5Mac

]]>
0
iPhone dos sonhos: o que gostaria que a Apple anunciasse no próximo evento http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/08/15/iphone-dos-sonhos-o-que-gostaria-que-a-apple-anunciasse-no-proximo-evento/ http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/2019/08/15/iphone-dos-sonhos-o-que-gostaria-que-a-apple-anunciasse-no-proximo-evento/#respond Thu, 15 Aug 2019 07:00:29 +0000 http://entrelinhas.blogosfera.uol.com.br/?p=252

Eu me considero bastante satisfeito com o estado atual dos iPhones. Diferente de muitos outros usuários – não só de iPhone, mas de outros aparelhos – eu prefiro melhoria e evolução constante do que uma revolução total todo ano. Acredito que essa evolução constante, embora às vezes lenta, resulte num produto melhor no final das contas.

Mas não é por estar satisfeito que não tenha diversas ideias do que poderia ser melhor. Normalmente eu publico sobre informações vazadas por funcionários da Apple ou opiniões de analistas, sobre coisas que poderemos ver nos próximos produtos da empresa. Para este post, preparei um resumo do que seria o meu “iPhone dos sonhos”, ignorando completamente a realidade.

Para não ficar totalmente fora da realidade, em alguns dos exemplos que darei, incluirei que tipo de mudança que pode ser considerada negativa eu estaria disposto a aceitar para possibilitar as funcionalidades que eu quero.

Bateria

Ninguém quer usar um celular que fica sem bateria no meio do dia. Embora eu considere a duração da bateria do meu iPhone XS Max o bastante num dia comum, qualquer aumento repentino no uso do aparelho faz a bateria chegar no final do dia quase no fim. Quando estou viajando, preciso usar a Smart Battery Case ou o power bank da minha mala para manter o iPhone carregado.

O meu iPhone dos sonhos teria uma bateria com duração de no mínimo dois dias de uso normal, que poderia reduzir para um dia quando o aparelho estiver sendo usado com muita frequência – numa viagem, por exemplo.

Para isso ser possível, eu estaria disposto a aceitar um iPhone um pouco mais espesso e pesado, para comportar uma bateria maior.

Face ID + Touch ID no mesmo aparelho

Este item não está tão fora da realidade, como comentei no meu último artigo. Eu adoraria ter a opção de usar ambos os métodos de autenticação no mesmo aparelho, embora prefira o Face ID no meu dia a dia.

Os motivos são muitos, desde a possibilidade de usar o iPhone em situações onde o Face ID não é cômodo – quando está em cima de uma mesa, por exemplo – até aumentar a segurança de operações mais sensíveis, reduzindo a necessidade de digitar o código de desbloqueio.

É bem provável que isso aconteça e que a tecnologia que teremos que abrir mão para isso será o 3D Touch por hardware, o que pessoalmente não me fará falta, ainda mais agora que no iOS 13 a mesma funcionalidade foi implementada sem a necessidade de hardware.

Câmera

As câmeras dos smartphones impressionam cada vez mais, além de serem uma das funcionalidades mais procuradas pelos usuários. Eu também gosto de tirar fotos com meu iPhone e gostaria de algumas melhorias nas suas câmeras.

A primeira delas seria a possibilidade de tirar fotos noturnas com uma melhor qualidade, algo que já está presente em alguns aparelhos concorrentes. Isso pode ser atingido melhorando as lentes, os sensores, ou através de software.

Em alguns modelos, já temos duas câmeras atrás: uma câmera mais aberta e outra com zoom óptico. O problema é que esse zoom é bastante limitado, além disso a câmera que tem o ângulo mais fechado tem dificuldade maior em capturar luz, fazendo que fotos com zoom em ambientes mais escuros não fiquem tão boas.

No meu iPhone dos sonhos, teríamos a possibilidade de mais zoom óptico na câmera, sem prejudicar a qualidade da imagem, seja por falta de luz ou por outras características do sensor ou lente.

E como estamos falando de sonho e não realidade, eu quero tudo isso, mas sem uma protuberância na parte de trás do aparelho, onde ficam as câmeras. Protuberância essa que deve ficar ainda maior nos iPhones de 2019.

Notch

O famoso notch – que alguns chamam carinhosamente de “testa dentuça”, mas que é oficialmente chamado de sensor housing – nunca me incomodou muito. Eu considero que, embora ocupe um espaço na tela, a Apple conseguiu fazê-lo de uma forma que não atrapalha o uso do aparelho.

Mas obviamente o iPhone dos sonhos não pode ter notch. A tela ocuparia a frente do aparelho em sua totalidade, sem nenhuma possível distração. Para tornar isso possível, seria necessário encontrar uma forma de esconder a câmera frontal, microfone, alto-falante, sensores de proximidade e Face ID na própria tela.

“iPad”

Eu gosto bastante do iPad, ele tem se tornado cada vez mais um computador que uso para trabalho – escrever estes artigos, por exemplo. Existem três funcionalidades dos iPads que meu iPhone dos sonhos teria: tela de 120hz, Apple Pencil e USB-C.

A tela com maior taxa de quadros por segundo, que a Apple chama de Pro Motion, torna o uso do aparelho muito mais fluido e faz toda a diferença na hora de usar o Apple Pencil. Falando nele, não vejo por que não ter a possibilidade de usar o Pencil também no iPhone, não para navegar na interface, mas para fazer o que ele faz melhor: anotações, rabiscos e desenhos.

Muitas pessoas se incomodariam com a mudança, mas eu adoraria ter um iPhone com conector USB-C. No mundo onde meu iPhone dos sonhos existe, todos os produtos usariam o conector, desde o iPad até a caixinha dos AirPods, eliminando a confusão de cabos e conectores que temos hoje em dia.

Resiliência

Eu nunca quebrei um iPhone na minha vida – e olha que eu uso sem capinha, case, película, etc. Mesmo isso não sendo um problema para mim, conheço inúmeras pessoas que já quebraram inúmeros iPhones, alguns deles apesar de estarem usando capinha protetora ou algum outro artifício similar.

Aparelhos mais recentes, de todos os fabricantes, têm melhorado bastante com relação à quedas e resistência à água. Eu gostaria de ter um iPhone que eu possa deixar cair no chão de uma altura normal sem ter medo de quebrar ou arranhar seriamente a tela.

Assim como na questão da bateria, se fosse necessário ter um iPhone mais espesso ou mais pesado para ter um material mais resistente na sua tela, eu estaria disposto a aceitar isso.

Estes são os principais aspectos que precisam mudar no iPhone para ele se tornar o meu “iPhone dos sonhos”. Muitos deles já estão disponíveis ao menos em parte em aparelhos de outros fabricantes, mas o meu iPhone dos sonhos também roda iOS, o que torna um pouco difícil adotar outro aparelho.

Imagem do post por ConceptsiPhone

]]>
0