Topo
Blog Entre Linhas

Blog Entre Linhas

Categorias

Histórico

iPhone dos sonhos: o que gostaria que a Apple anunciasse no próximo evento

Guilherme Rambo

15/08/2019 04h00

Eu me considero bastante satisfeito com o estado atual dos iPhones. Diferente de muitos outros usuários – não só de iPhone, mas de outros aparelhos – eu prefiro melhoria e evolução constante do que uma revolução total todo ano. Acredito que essa evolução constante, embora às vezes lenta, resulte num produto melhor no final das contas.

Mas não é por estar satisfeito que não tenha diversas ideias do que poderia ser melhor. Normalmente eu publico sobre informações vazadas por funcionários da Apple ou opiniões de analistas, sobre coisas que poderemos ver nos próximos produtos da empresa. Para este post, preparei um resumo do que seria o meu "iPhone dos sonhos", ignorando completamente a realidade.

Para não ficar totalmente fora da realidade, em alguns dos exemplos que darei, incluirei que tipo de mudança que pode ser considerada negativa eu estaria disposto a aceitar para possibilitar as funcionalidades que eu quero.

Bateria

Ninguém quer usar um celular que fica sem bateria no meio do dia. Embora eu considere a duração da bateria do meu iPhone XS Max o bastante num dia comum, qualquer aumento repentino no uso do aparelho faz a bateria chegar no final do dia quase no fim. Quando estou viajando, preciso usar a Smart Battery Case ou o power bank da minha mala para manter o iPhone carregado.

O meu iPhone dos sonhos teria uma bateria com duração de no mínimo dois dias de uso normal, que poderia reduzir para um dia quando o aparelho estiver sendo usado com muita frequência – numa viagem, por exemplo.

Para isso ser possível, eu estaria disposto a aceitar um iPhone um pouco mais espesso e pesado, para comportar uma bateria maior.

Face ID + Touch ID no mesmo aparelho

Este item não está tão fora da realidade, como comentei no meu último artigo. Eu adoraria ter a opção de usar ambos os métodos de autenticação no mesmo aparelho, embora prefira o Face ID no meu dia a dia.

Os motivos são muitos, desde a possibilidade de usar o iPhone em situações onde o Face ID não é cômodo – quando está em cima de uma mesa, por exemplo – até aumentar a segurança de operações mais sensíveis, reduzindo a necessidade de digitar o código de desbloqueio.

É bem provável que isso aconteça e que a tecnologia que teremos que abrir mão para isso será o 3D Touch por hardware, o que pessoalmente não me fará falta, ainda mais agora que no iOS 13 a mesma funcionalidade foi implementada sem a necessidade de hardware.

Câmera

As câmeras dos smartphones impressionam cada vez mais, além de serem uma das funcionalidades mais procuradas pelos usuários. Eu também gosto de tirar fotos com meu iPhone e gostaria de algumas melhorias nas suas câmeras.

A primeira delas seria a possibilidade de tirar fotos noturnas com uma melhor qualidade, algo que já está presente em alguns aparelhos concorrentes. Isso pode ser atingido melhorando as lentes, os sensores, ou através de software.

Em alguns modelos, já temos duas câmeras atrás: uma câmera mais aberta e outra com zoom óptico. O problema é que esse zoom é bastante limitado, além disso a câmera que tem o ângulo mais fechado tem dificuldade maior em capturar luz, fazendo que fotos com zoom em ambientes mais escuros não fiquem tão boas.

No meu iPhone dos sonhos, teríamos a possibilidade de mais zoom óptico na câmera, sem prejudicar a qualidade da imagem, seja por falta de luz ou por outras características do sensor ou lente.

E como estamos falando de sonho e não realidade, eu quero tudo isso, mas sem uma protuberância na parte de trás do aparelho, onde ficam as câmeras. Protuberância essa que deve ficar ainda maior nos iPhones de 2019.

Notch

O famoso notch – que alguns chamam carinhosamente de "testa dentuça", mas que é oficialmente chamado de sensor housing – nunca me incomodou muito. Eu considero que, embora ocupe um espaço na tela, a Apple conseguiu fazê-lo de uma forma que não atrapalha o uso do aparelho.

Mas obviamente o iPhone dos sonhos não pode ter notch. A tela ocuparia a frente do aparelho em sua totalidade, sem nenhuma possível distração. Para tornar isso possível, seria necessário encontrar uma forma de esconder a câmera frontal, microfone, alto-falante, sensores de proximidade e Face ID na própria tela.

"iPad"

Eu gosto bastante do iPad, ele tem se tornado cada vez mais um computador que uso para trabalho – escrever estes artigos, por exemplo. Existem três funcionalidades dos iPads que meu iPhone dos sonhos teria: tela de 120hz, Apple Pencil e USB-C.

A tela com maior taxa de quadros por segundo, que a Apple chama de Pro Motion, torna o uso do aparelho muito mais fluido e faz toda a diferença na hora de usar o Apple Pencil. Falando nele, não vejo por que não ter a possibilidade de usar o Pencil também no iPhone, não para navegar na interface, mas para fazer o que ele faz melhor: anotações, rabiscos e desenhos.

Muitas pessoas se incomodariam com a mudança, mas eu adoraria ter um iPhone com conector USB-C. No mundo onde meu iPhone dos sonhos existe, todos os produtos usariam o conector, desde o iPad até a caixinha dos AirPods, eliminando a confusão de cabos e conectores que temos hoje em dia.

Resiliência

Eu nunca quebrei um iPhone na minha vida – e olha que eu uso sem capinha, case, película, etc. Mesmo isso não sendo um problema para mim, conheço inúmeras pessoas que já quebraram inúmeros iPhones, alguns deles apesar de estarem usando capinha protetora ou algum outro artifício similar.

Aparelhos mais recentes, de todos os fabricantes, têm melhorado bastante com relação à quedas e resistência à água. Eu gostaria de ter um iPhone que eu possa deixar cair no chão de uma altura normal sem ter medo de quebrar ou arranhar seriamente a tela.

Assim como na questão da bateria, se fosse necessário ter um iPhone mais espesso ou mais pesado para ter um material mais resistente na sua tela, eu estaria disposto a aceitar isso.

Estes são os principais aspectos que precisam mudar no iPhone para ele se tornar o meu "iPhone dos sonhos". Muitos deles já estão disponíveis ao menos em parte em aparelhos de outros fabricantes, mas o meu iPhone dos sonhos também roda iOS, o que torna um pouco difícil adotar outro aparelho.

Imagem do post por ConceptsiPhone

Sobre o autor

Guilherme Rambo é programador desde os 12 anos. Especialista em engenharia reversa, é conhecido mundialmente por revelar os segredos da Apple antes mesmo dos anúncios da empresa, além de programar para as plataformas da empresa.

Sobre o blog

Dos segredos escondidos nos códigos da Apple às tendências do mundo da tecnologia, o blog Entre Linhas aborda semanalmente os temas mais interessantes e atuais do mercado tecnológico sob o ponto de vista do programador Guilherme Rambo.