PUBLICIDADE
Topo

E não é que os widgets são bons? Como foi minha experiência com o iOS 14

Guilherme Rambo

28/08/2020 04h00

Anunciado no final de junho durante a keynote da WWDC, o iOS 14 traz diversas novidades, muitas delas requisitadas por seus usuários durante anos. Mas entre o que é anunciado e o que de fato vira rotina na vida de um usuário, existe uma grande diferença. Estou usando a versão beta do novo sistema desde seu anúncio e trago aqui minhas impressões sobre as principais novidades.

Widgets

A tela de início do iPhone — apesar de alguns ajustes aqui e ali — é basicamente a mesma desde a primeira versão do aparelho. Isso não é necessariamente ruim, afinal ter familiaridade com o funcionamento desse componente essencial para a experiência do iPhone é importante.

Mas um recurso que era pedido há muitos anos por seus usuários foi finalmente introduzido no iOS 14: widgets! Confesso que eu não tinha muita expectativa para o lançamento de widgets na home screen, pois não me via usando isso no meu dia a dia. Eu estava enganado.

Os widgets tem sido, sem dúvida, o recurso que mais mudou a forma como uso meu iPhone no iOS 14. Comecei substituindo duas linhas de ícones na parte superior da primeira tela pelos widgets de baterias e uma pilha com os widgets de Tempo e Calendário.

As pilhas de widgets são inteligentes, elas alternam automaticamente para o widget mais relevante para você em determinado momento. Pela minha experiência, após algum tempo de uso, o sistema realmente aprende qual widget é mais relevante e coloca ele no topo da pilha.

É muito bom poder ver diretamente na minha tela de início de manhã cedo como vai ser a temperatura e se vai chover naquele dia, e logo após dar uma olhada em como está a agenda do dia. Além disso, com o widget de baterias, sempre estou de olho em como estão as baterias dos AirPods, iPhone e Apple Watch.

Mas tem um widget que fez ainda mais diferença para mim: sugestões da Siri. Seu iPhone aprende ao longo do tempo quais apps são mais relevantes para você em determinado contexto, que varia dependendo de horário do dia, localização, entre outras variáveis. O widget de sugestões da Siri pode então mostrar os ícones desses apps para você, diretamente na tela de início.

A Apple foi um pouco além e deu um tratamento especial para esse widget. Quando você coloca a versão média dele na tela de início, ele fica sem fundo, dessa forma os ícones dos apps sugeridos ficam como se fossem simplesmente ícones da sua tela de início.

Eu substituí a segunda e terceira telas de início do meu iPhone por várias cópias do widget de sugestões da Siri. Ele é esperto o suficiente para não repetir o mesmo app dentro de uma página da tela de início. Dificilmente vou para uma dessas telas e não encontro o app que estava pensando em abrir naquele momento. Para abrir apps novos ou que ainda não tenham entrado na minha rotina, uso a busca pelo nome do app.

Picture in Picture

Este recurso já estava disponível no iPad há bastante tempo, mas finalmente chegou aos iPhones com o iOS 14. É simples: basta estar assistindo um vídeo — ou fazendo uma ligação de vídeo no FaceTime — em tela inteira no Safari ou qualquer outro app compatível e voltar para e tela de início.

O vídeo vai junto e fica flutuando por cima da interface, podendo ser redimensionado, fechado, escondido, ou retornado para o app de onde veio. O recurso é extremamente útil quando se quer acompanhar um vídeo e fazer alguma outra coisa no iPhone ao mesmo tempo, como responder uma mensagem.

Toque na traseira

Este recurso — que ficou com um nome peculiar em português — permite a configuração de dois atalhos que são executados quando o usuário dá toques na parte de trás do aparelho.

Nos primeiros betas, tive muitos casos de falso-positivo que ativavam os atalhos ao largar o iPhone em uma mesa, por exemplo. Nas versões mais recentes, não tive mais esse problema. Configurei dois toques para abrir a central de controle, que é difícil de abrir em iPhones maiores. Para os três toques, configurei para abrir a câmera.

Mensagens

Eu sei que muitos brasileiros não tem o costume de usar o app Mensagens, optando por conversar com os amigos no WhatsApp ou Telegram. Felizmente, tenho muitos amigos e familiares que gostam de usar o Mensagens e acabo usando ele muito mais que qualquer outro app de comunicação.

O Mensagens recebeu excelentes novidades no iOS 14 e estou usando algumas delas. A primeira que fez bastante diferença para mim foi a possibilidade de deixar contatos fixos no topo da tela. Existem alguns contatos com os quais me comunico o tempo todo, então é muito bom poder manter essas conversas sempre disponíveis na parte de cima da tela.

Além disso, o Mensagens trouxe melhorias para conversas em grupo. Agora é possível mencionar participantes do grupo por nome nas mensagens, além de responder mensagens específicas, criando threads.

Conclusão

O iOS 14 vai muito além do que mencionei acima, pois foquei nos recursos que estou utilizando mais e que fizeram mais diferença no meu dia a dia. De um modo geral, a qualidade do iOS 14 tem surpreendido, mesmo na fase beta. A nova versão deve ser lançada para todos os usuários até o final de setembro.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Guilherme Rambo é programador desde os 12 anos. Especialista em engenharia reversa, é conhecido mundialmente por revelar os segredos da Apple antes mesmo dos anúncios da empresa, além de programar para as plataformas da empresa.

Sobre o blog

Dos segredos escondidos nos códigos da Apple às tendências do mundo da tecnologia, o blog Entre Linhas aborda semanalmente os temas mais interessantes e atuais do mercado tecnológico sob o ponto de vista do programador Guilherme Rambo.