PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Podcasts, 5G no iPhone, mais performance: o que esperar da Apple em 2020

Guilherme Rambo

09/01/2020 04h00

Michal Kubalczyk/ Unsplash

O ano está apenas começando, mas nunca é cedo demais para os rumores. A Apple lançou em 2019 diversos serviços e produtos novos, muitos deles alinhados com os rumores do início do ano. Vamos ver então quais são as principais expectativas para a empresa em 2020.

Serviços

Ano passado marcou a entrada da Apple na área de serviços, com o lançamento do Apple Arcade, TV+, News+ e o Apple Card.

Ainda é um pouco cedo para medir ao certo o sucesso dos novos serviços, mas já dá para ter uma ideia do que está agradando os usuários ou não. Segundo relatos de usuários, a notícia é boa para o Apple Arcade, TV+ e Apple Card. Já o Apple News+ não parece estar agradando muito, com usuários afirmando que o serviço não vale o preço cobrado por não oferecer nada muito interessante para os assinantes.

Este ano pode contar com o lançamento de ainda mais serviços da empresa, incluindo um serviço de assinatura de podcasts, que contaria com conteúdo exclusivo de grandes nomes da mídia.

Além disso, ainda não temos um pacote de assinaturas da Apple, que inclua diversos serviços (inclusive iCloud) em um único pagamento. Talvez 2020 seja o ano em que veremos isso se tornar uma realidade. Os que assinam os diversos serviços oferecidos pela empresa agradeceriam.

Software

A Apple teve alguns problemas com seu software em 2019, com os lançamentos do iOS 13 e demais sistemas operacionais complicados por bugs e insatisfação dos usuários. Não é à toa que ele já foi atualizado mais de oito vezes desde o seu lançamento.

Segundo fontes da empresa, o processo de desenvolvimento dos seus sistemas estaria passando por mudanças para dificultar esse tipo de ocorrência no futuro.

Os sistemas operacionais que irão dar vida aos dispositivos lançados este ano já estão em desenvolvimento desde o ano passado, com foco em melhorias de performance e correções do que não ficou bom este ano.

Sobre novos recursos, ainda não sabemos muito. É possível que vejamos ainda mais mudanças no iPadOS – que ganhou o nome ano passado – diferenciando o sistema ainda mais daquele que roda nos iPhones.

Também sabemos sobre alguns projetos do ano passado que acabaram ficando para depois, um exemplo é o recurso de rastreamento de sono nativo no Apple Watch, que já está em desenvolvimento há algum tempo mas até agora não foi anunciado.

Hussam Abd/ Unsplash

Hardware

Fontes ligadas a fornecedores da Apple já dão uma ideia do que está por vir nos iPhones deste ano. Ainda no primeiro semestre, podemos ver o lançamento do tão aguardado "iPhone SE 2".

Esse novo dispositivo teria o design muito similar ao iPhone 8, mas com processador e demais componentes internos do iPhone 11. Pode ser uma excelente opção para quem não liga muito para câmera, Face ID e outros recursos adicionais dos novos aparelhos, mas quer um iPhone novo e capaz de rodar os softwares mais recentes sem problemas de performance.

Outra novidade que está começando a se popularizar é o 5G, com diversos aparelhos de empresas concorrentes já surgindo com a nova tecnologia. Nesse sentido, os rumores ainda são um pouco confusos, mas o confiável analista Ming-Chi Kuo afirma que a empresa lançaria quatro modelos de iPhones este ano, todos com suporte à tecnologia.

Uma possibilidade é que a Apple introduza modelos com suporte a 5G apenas em regiões onde a conexão já está disponível, como alguns países da Europa e alguns locais nos Estados Unidos. Mas também é possível que a Apple não lance suporte a 5G agora e opte por esperar uma maior difusão da tecnologia – a empresa é conhecida por não adotar novos padrões de conectividade imediatamente.

Nos Macs, poderemos ver uma atualização na linha de notebooks, com o novo teclado que foi lançado no MacBook Pro de 16 polegadas, corrigindo os problemas que o teclado com mecanismo borboleta causou a muitos usuários. Existem rumores de que o MacBook Pro de 13 polegadas seria atualizado de forma similar, aumentando a tela para 14 polegadas e introduzindo o novo teclado.

A linha de iMacs está sem atualizações grandes há um bom tempo. Com o lançamento recente do novo Mac Pro, que atende às demandas do mercado de vídeo profissional – entre outros – é possível que a empresa opte por não atualizar o iMac Pro e acabe lançando um iMac com os recursos avançados do iMac Pro opcionais, já que o produto serviu como um "quebra-galho" para os usuários high-end enquanto a Apple trabalhava no novo Mac Pro.

Outra novidade aguardada para este ano é o anúncio da transição dos Macs para processadores da própria Apple, assim como já é o caso nos iPhones, iPads e Apple Watches. Esse anúncio poderia ocorrer em junho, durante a sua conferência anual para desenvolvedores, com lançamento do hardware mais no final do ano – talvez outubro.

Além disso, ainda não vimos o anúncio oficial da Apple Tag, o rastreador de objetos que deu as caras ano passado em algumas versões do iOS, mas sobre o qual a empresa ainda não se pronunciou.

O calendário de lançamentos da Apple em 2020 deve seguir o padrão que já conhecemos, com eventos em março, junho, setembro e talvez outubro, além de lançamentos pontuais ao longo do ano, através de releases para a imprensa.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Guilherme Rambo é programador desde os 12 anos. Especialista em engenharia reversa, é conhecido mundialmente por revelar os segredos da Apple antes mesmo dos anúncios da empresa, além de programar para as plataformas da empresa.

Sobre o blog

Dos segredos escondidos nos códigos da Apple às tendências do mundo da tecnologia, o blog Entre Linhas aborda semanalmente os temas mais interessantes e atuais do mercado tecnológico sob o ponto de vista do programador Guilherme Rambo.

Blog Entre Linhas